,

Gelado de baunilha

A baunilha tem sido uma das especiarias mais utilizadas na pastelaria cabo Verdiana. Acredito, que talvez não exista bolos, bolachas e biscoitos que não tenham essa especiaria. “É para tirar o sabor a ovo” – dizia a minha prima Jacky, após passar por um exaustivo questionário, feito por mim, sobre a função de cada ingrediente num dos seus muitos deliciosos bolos.

Imagem 11

A baunilha é um dos meus sabores e cheiros favorito. O seu aroma doce e quente lembra-me as tardes solarengas de domingo na esplanada da gelataria Ártica. A Ártica era a gelataria mais famosa da cidade da Praia (capital de Cabo Verde), arrisco-me mesmo a dizer que era a única gelataria da Praia. Possuíam nas suas montras brancas e refrigeradas sabores clássicos como gelado de natas, gelado de baunilha mas também gelados mais ousados e exóticos como gelado de tamarindo, calabaceira*, entre outros.  Eu e os meus primos escolhíamos sempre uma bola com misturas de sabores. Adivinhem qual era um dos sabores que escolhia sempre? Baunilha, claro!!

Mesmo na adolescência, eu e as minhas amigas (Carmen, Raquel, Mara e Margareth) escolhíamos sempre a gelataria Ártica da zona da Achada de Santo António para os nossos encontros de sábado a tarde. Apesar, de existir a gelataria com os mesmo sabores na zona da Fazenda, que era o mais perto das nossas casas.

*calabaceira: fruto da planta Adansonia digitata, também conhecida como imbondeiro em outros países de África.

gelado

Após passear por uma livraria encontrei um livro da Chef do La dolce Rita – Rita Nascimento: “A vida secreta dos gelados caseiros” e uma das primeiras receitas do livro é o gelado de baunilha. E lembrou-me automaticamente nas maravilhosas tardes passadas na Ártica.

Sendo assim, com muito carinho apresento aqui esse gelado que marcou tanto a minha infância e adolescência.

Imagem 3

Gelado de Baunilha (adaptado de A vida secreta dos gelados caseiros)

250 ml de leite gordo
200 ml de natas para bater
30 g de leite em pó
50 g de açúcar
3 gemas
1 vagem de baunilha
1 colher de café de extrato de baunilha caseira** (opcional)

*Extrato de baunilha caseira: fiz um extrato de baunilha com grogue de Santo Antão e baunilha. Em seguida, deixei macerar por 6 meses.

Aqueça o leite, as natas e o leite em pó num tacho em lume médio. Numa taça, misture as gemas e o açúcar e reserve. Quando a mistura do leite começar a fervilhar retire do lume. Acrescente progressivamente a mistura de leite às gemas mexendo sempre. Leve tudo a lume baixo, mexendo até engrossar (não deixar ferver, pois pode talhar). Retire imediatamente do lume e abra a vagem de baunilha e com a ajuda de uma faca retire as sementes. Acrescente as sementes e a vagem a mistura. Passe a mistura por um passador (para retirar os grumos e a vagem de baunilha) e coloque no congelador.

Dica: Pode-se consumir o gelado após congelar, no entanto vai se formar cristais de gelo. Para isso não acontecer pode-se bater o gelado com uma vara ou batedeira elétrica a cada 1h. Esse processo vai permitir que o gelado não congele como um bloco de sólido e minimiza a formação de cristais de gelo, tornando-o num gelo mais suave (Rita Nascimento, A vida secreta dos gelados caseiros).

Imagem 12

Share

Comentário

O seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios são marcados com *